sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Escritora Cristina Porto, que participou do Curso de Collage com Silvio Alvarez, lança livro Caderno Alado com ilustrações de Colagem



Todos os anos, no mês de outubro, realizo o Curso de Collage com Silvio Alvarez, em São Paulo.

Criei o curso anual para reunir, em um mesmo espaço e em um mesmo dia, todos aqueles que durante o ano corrente manifestam o interesse de conhecer de perto a minha história e a expressão artística da colagem. O evento também propõe uma celebração às possibilidades humanas proporcionadas pela arte

O curso de collage com Silvio Alvarez não tem a pretensão de concorrer com outros cursos similares, mas, sim, oferecer algo diferente e complementar, com foco no caráter humano da expressão artística explorando todos os seus benefícios.



No curso de 2016, entre os 42 participantes, estava a escritora de livros infanto-juvenis Cristina Porto. 

Cristina Porto é paulista de Tietê. Formou-se em Letras, pela Universidade de São Paulo. Desde o começo de sua carreira profissional, em 1971, sempre esteve ligada à criança: como professora de alfabetização, durante sete anos, em uma escola municipal da periferia de São Paulo; depois, como funcionária da Editora Abril, no departamento de publicações infantojuvenis, onde trabalhou para as revistas Recreio, Alegria e Corujoca, como colaboradora e editora; a partir de 1980, como escritora, estreando com o livro Se, será, Serafina?, editado pela Ática.

Entre 1981 e 1983, participou, como coordenadora geral, do projeto Taba: histórias e músicas brasileiras, criado e editado por Sonia Robatto e a equipe do estúdio que levava seu nome.

Depois disso, passou a dedicar-se exclusivamente à literatura; tem, hoje, mais de 50 livros publicados por várias editoras, dentre os quais, os premiados Serafina e a criança que trabalha – prêmio de Melhor Livro Infantil Informativo, conferido pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), em 1996, e O diário escondido de Serafina (Ática) – prêmio de Melhor Livro Infantil, conferido pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), em 1997, ambos publicados pela Editora Ática.

A meu pedido, Cristina Porto contou como foi participar do Curso de Collage com Silvio Alvarez:

Colagem: amor que veio para ficar

Sempre fui das palavras. Basta dizer que tenho mais de 60 livros publicados.

Quando voltei a morar no interior, o contato com a natureza, o chamamento da terra, das plantas, flores, pássaros, os desenhos formados pelas nuvens no céu, enfim, tudo eram imagens da infância que eu comecei a resgatar. 

Foi então que veio a fotografia: fotos e mais fotos e mais fotos! As palavras ficaram caladas...
Um belo dia, comecei a recortar os pássaros das minhas fotos e juntar os recortes, formando uma espécie de painel. Nasciam assim minhas primeiras colagens.

Julio Veredas foi meu primeiro professor e me fez acreditar que era possível... Obrigada pela alfabetização, professor!

Silvio Alvarez, com seu curso anual, passando uma visão histórica da colagem, nos mostrando as diversas técnicas, dando preciosas dicas... Bem, Silvio me fez acreditar que poderia ir além, muito além!

Das colagens com pássaros nasceu um livro, o Caderno Alado, em que fui autora e ilustradora ao mesmo tempo, pela primeira vez em uma carreira que já dura 37 anos!!!

Pouco a pouco, começo a ousar, experimentar, descobrir a minha relação com o trabalho, que começou como desafio e virou uma paixão!

Obrigada, mestre Silvio!

Conheça o novo livro de Cristina Porto, Caderno Alado. 




Caderno Alado
Textos e colagens de Cristina Porto
Ilustrações de Ricardo Costa
Brochura, formato 17 x 24 cm, 64 páginas
Edições Barbatana, 2017

Em seu novo livro, o primeiro de sua carreira em que também ilustra, a escritora Cristina Porto conta a história de 12 passarinhos que vão visitá-la em sua casa — onde nasceu e para onde voltou a morar anos depois —, no bairro do Infinito, em Tietê (SP): o bem-te-vi, o canário-da-terra-verdadeiro, a garça-branca-pequena, o joão-de-barro, o pardal, o periquitão-maracanã, o pica-pau-do-campo, a pipira-vermelha, o sabiá-laranjeira, a saíra-amarela, o sanhaçu-cinzento e o tico-tico.



Para cada um deles, há um texto com as informações principais do passarinho (características físicas, hábitos, onde aparece, dados biológicos, curiosidades), um poema, uma colagem feita por Cristina Porto e uma ilustração realista feita pelo ilustrador Ricardo Costa.

Tudo isso em linguagem divertida, apaixonada e sintonizada com a curiosidade infantil. Caderno alado é um título que agradará às crianças de todas as idades, tendo tanto função informativa e escolar, como lúdica e também prática, de manual: são passarinhos que podem ser facilmente avistados não só no campo, mas também nas cidades. O livro em mãos permitirá sua identificação.



Voltado a crianças a partir de 7 anos, o que não impede que a leitura também seja recomendada para crianças menores, que realizem a leitura dos textos e imagens compartilhada com um adulto. Ou mesmo para nós, que somos bem maiores!

Confira algumas colagens de Cristina Porto após participar do Curso de Collage com Silvio Alvarez





Para comprar o livro caderno Alado, de Cristina Porto 
http://www.edicoesbarbatana.com.br/pd-3FDD23.html

Leia no blog sobre o Curso de Collage com Silvio Alvarez 2016
http://silvioalvarez.blogspot.com.br/2016/11/colagem-artista-plastico-silvio-alvarez.html

Contato com Silvio Alvarez
www.silvioalvarez.com.br
silvioalvarez@uol.com.br

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Artista plástico Silvio Alvarez realiza oficina de colagem na Unidade Ermelino Matarazzo do Programa Recomeço Família para familiares de dependentes químicos.



No dia 11 de fevereiro de 2017 realizei oficina de colagem do Projeto “Só eu sou eu” na unidade Ermelino Matarazzo, zona leste de São Paulo, no Programa Recomeço Família, para familiares de dependentes químicos e outros grupos. 




Realizei a oficina a convite da psicóloga e arteterapeuta Silvia Medeiros, que foi minha aluna na pós-graduação em Arteterapia da Unip em 2010, no Parque Dom Paulo Evaristo Arns, em Ermelino Matarazzo, em São Paulo. Mais uma vez contei som o apoio do aprendiz Rafael Mariposa. 





Na primeira parte do evento, que teve duração de duas horas, conversei com os participantes, falei da minha história de vida e carreira. Com a proposta que criei do Projeto “Só eu sou eu” procurei reforçar o conceito do quanto cada um de nós é único e especial em um mundo com mais de 7 bilhões de pessoas. Apresentei a canção de Marcelo Jeneci “Só eu sou eu”. 






Na sequência, ensinei o básico da técnica artística da colagem e propus que cada participante produzisse uma colagem em papel cartão com recortes de revistas. O papel cartão, em formato de um boneco, propunha que cada um pensasse em si mesmo, se auto retratando no trabalho.  









Contato com Silvio Alvarez

www.silvioalvarez.com.br
silvioalvarez@uol.com.br

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Rafael Mariposa é o novo aprendiz do Ateliê Silvio Alvarez



Conheci o estudante de comunicação visual Rafael dos Santos Camargo, de nome artístico Rafael Mariposa, durante a minha exposição no Conjunto Nacional de 2016. Com 20 anos de idade, Rafael é estudante de Comunicação Visual da ETEC José Rocha Mendes, em São Paulo, e já desenvolve projetos em desenho, pintura, escultura, arte urbana, teatro, poesia, como recreador e cosplay.



Trabalho de Rafael Mariposa em isogravura



Cosplay, Rafael Mariposa como Homem Aranha



Rafael Mariposa como Peter Pan 
Fotografia e edição: Rubens  Macedo


Como já havia tomado contato com a colagem em seus estudos, Rafael Mariposa, natural de São Paulo, passou o mês de fevereiro em Joanópolis, no Ateliê Silvio Alvarez, para aprimorar o seu conhecimento na técnica, tomando contato com o processo criativo in loco e praticando livremente. O resultado foi surpreendente.



Procurando não interferir em suas criações, permiti que o estudante desenvolvesse trabalhos mesclando a técnica da colagem com o desenho e a pintura. Creio que as imagens dos trabalhos desenvolvidos nesse primeiro momento dizem tudo, muito mais do que palavras.




Rafael Mariposa é o novo aprendiz do Ateliê Silvio Alvarez , mas já alcançou algo a mais, importante para a sua carreira de artista plástico. O jovem conseguiu logo de cara algo muito difícil na técnica de colagem: realizar algo verdadeiramente novo, original. Trabalhando colagem com desenho e pintura, 
Rafael abre uma estrada nova criativa e gigantesca no universo artístico da colagem.



Além disso, Rafael Mariposa, que pretende cursar faculdade de artes plásticas, revela-se também como um potencial arte educador, por possuir, a meu ver, o componente essencial: carrega em si o amor genuíno por tudo o que faz. Ele já realizou, ao meu lado, oficinas no Lar Joanópolis, para idosos, e na Biblioteca de São Paulo, para crianças.






O primeiro a participar do projeto Aprendiz foi Leonardo Giovane, natural de Joanópolis, hoje intercambista de Turismo da UNESP em Budapeste, Hungria. Leonardo Giovane não seguirá a carreira artística, mas também demonstrou aptidão para a produção de colagens e para desenvolver oficinas como arte educador. Como primeiro aprendiz do Ateliê Silvio Alvarez, Leonardo foi responsável por me auxiliar em boa parte da produção 2014, 2015 e 2016.



Contato Silvio Alvarez