sábado, 31 de dezembro de 2011

"A Criação” - Colagem do artista plástico Silvio Alvarez ilustra livro didático do Projeto Aprendiz Legal


As artes visuais permitem uma infinidade de possibilidades profissionais, mas acredito que ainda estão para inventar alegria maior para um artista plástico, do que a de ver o seu trabalho apresentado em um livro didático. 


A imagem do quadro A Criação, colagem sobre madeira, passou a ilustrar o livro didático do Projeto Aprendiz Legal, para educadores e jovens aprendizes – Juventudes: identidade, trabalho e cidadania – Unidade 1 – Módulo Básico. No livro, o quadro aparece para demonstrar a possibilidade do uso da colagem como ferramenta didática e para apresentar a técnica como expressão artística genuína. 


O Aprendiz Legal é um programa de aprendizagem voltado para a preparação e inserção de jovens no mundo do trabalho. O Programa, iniciativa da Fundação Roberto Marinho, pretende contribuir para a formação de jovens autônomos, que saibam fazer novas leituras de mundo, tomar decisões e intervir de forma positiva na sociedade. 


A Criação – colagem sobre madeira – 40 x 38 cm 
Acervo do Memorial dos Povos Indígenas - Brasília 

O quadro A Criação, produzido originalmente para o Projeto Terras Indígenas, integra hoje o acervo do Memorial dos Povos Indígenas, em Brasília. O trabalho de colagem retrata a cultura dos povos Baniwa e Coripaco. Os Coripaco vivem na Colômbia e no Alto Içana, Brasil. Já os Baniwa vivem na fronteira do Brasil com a Colômbia e a Venezuela. As duas etnias, aparentadas e vizinhas, têm em sua cultura muitos pontos em comum.

Para chegar a essa composição contei com a orientação do estudioso norte-americano Robin M.Wright, antropólogo e professor de religião, especializado em religiões indígenas sul-americanas. Localizado pela internet, por intermédio de Skype e e-mail, com total receptividade, o professor, que viveu no Brasil para estudar as etnias, me forneceu todo o material necessário para que o trabalho retratasse fielmente a cultura dos Baniwa – Coripaco, incluindo valiosas fotografias.

Sendo assim, a produção do quadro A Criação foi baseada na História da Criação, narrada pelo Xamã Baniwa Matteo Pereira ao  professor Robin M. Wright, durante suas pesquisas no Brasil.

Durante o processo criativo, busquei inspiração no seguinte trecho da narração:

“Ele (o Criador) foi para o umbigo do universo em Hipana. (uma cachoeira, onde teriam sido criados todos os povos da região). Ele ouviu as pessoas saindo do umbigo (um buraco no meio da cachoeira, na rocha, de onde saíram os antepassados dos povos). Eles saíram um após o outro e Ele deu a cada um a sua terra. Então Ele começou a noite, o cesto contendo a noite abriu-se um pouco e a noite veio cobrindo o mundo em trevas”.

Site Programa Aprendiz Legal

Site do Professor Robin M. Wright

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Oficina de colagem para hóspedes e funcionários do Hotel Iguazu Grand - Argentina


A convite do Hotel Iguazu Grand, em Porto Iguazu – Argentina, em novembro de 2011 cruzei a fronteira para realizar mais uma oficina de colagem, para hóspedes e funcionários.   



As oficinas de colagem viraram... Talleres de collage;
A minha tesoura virou... Tijera;
A cola virou... Plasticola;
Colar, em espanhol ... É pegar;



Além das oficinas no Playland do Iguazu Grand, esse projeto em  Porto Iguazu revelou com maior ênfase mais um grande potencial da arte da colagem, as oficinas voltadas para a área de Recursos Humanos. Realizei "talleres de collage" para funcionários de diversas áreas do Hotel e o resultado foi uma grata surpresa.





Foi uma experiência maravilhosa. Com o apoio de Christiane Buckeridge Tatit, Coordenadora de Recreação e Spa do Iguazu Grand, também realizei uma oficina no Colegio Argentino Americano, para cerca de 30 crianças.  


Mais fotos das oficinas em porto Iguazu
http://www.silvioalvarez.com.br/site/projetos/projetos/hotel-iguazu-grand-argentina


Site Iguazu Grand
http://www.iguazugrand.com/pr

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Enfeites de Natal com colagem de recortes de revistas


Decorar a casa para o Natal, é uma daquelas atividades especiais que realizamos em família, antecipando a festa, e que guardamos em nossa lembrança para toda a vida. Hoje quero demonstrar com esse post que muitas dessas peças decorativas podem ser produzidas com colagem.

Estas guirlandas foram produzidas com colagem de recortes de revistas sobre base de madeira descartada da fabricação de caixas acústicas. Mas também podem ser produzidas sobre prato de papelão, disco de vinil...



Veja só esta árvore de Natal moderninha que produzi para a Revista Faça Fácil, em 2009, em parceria com a amiga Mércia Fígaro Nazário. Apliquei imagens de mãozinhas sobre as bolas de isopor pintadas. A estrutura, criada pela Mércia, é de arame bem grosso encapado com papel crepom.



Em 2011 criei essa linha de cartões de Natal com exclusividade para o Instituto Reciclar, de São Paulo.






Mãos à obra e um Feliz Natal a todos.

Paz, Saúde, Alegria... Sempre com Arte!


quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Silvio Alvarez no Programa Nestlé com Você - Rede TV!





Agradeço a atenção e o carinho com que fui recebido por Fabrizio Fasano Jr. e por toda a produção do programa Nestlé com Você.


domingo, 28 de agosto de 2011

Colagem - Silvio Alvarez no Programa Paratodos da TV Brasil




Recentemente fui contatado pela TV Brasil para gravar uma reportagem para o Programa Paratodos. O programa Paratodos é uma revista eletrônica com enfoque na cultura popular e voltada para “jovens de qualquer idade”. Todos os sábados, manifestações artísticas de todo o país podem ser vistas na tela.

“Vamos mostrar no Paratodos manifestações culturais da periferia, dos grupos mais distantes do mercado cultural”, explica o gerente de jornalismo da TV Brasil em São Paulo, Florestan Fernandes Júnior.

“Queremos fazer uma revista de cultura que não seja pautada pela agenda do eixo Rio-São Paulo. É esse o nosso diferencial", diz Márcia Dutra, editora-chefe.

A matéria a respeito do meu trabalho de colagem foi gravada em duas oportunidades, no meu ateliê em Joanópolis e enquanto eu desenvolvia um projeto com os jovens do Instituto Reciclar, na comunidade do Jaguaré.




A repórter responsável pela matéria, Maiá Prado, é uma profissional incrível, daquelas que demonstram amar profundamente o que fazem. Ela me deixou super à vontade, nem gaguejar eu gaguejei. Maiá, a meu ver, conseguiu, com extremada competência e dedicação, captar a essência da minha proposta de trabalho.

Tenho muito a agradecer a TV Brasil pelo espaço e empenho em produzir uma matéria tão completa, fiel à proposta e com tanta qualidade. O resultado é um registro lindo e para a vida toda!

video

Site do Programa Paratodos

Outras reportagens a respeito do meu trabalho

Entrevista para o Nestlé com Você
http://youtu.be/niAbLyPjv6o

Reportagem TV Globo - Planeta Vanguarda
http://youtu.be/iyDIpYZEeTI 

Entrevista para o Programa Ciclo Vivo

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Estudar Vale a Pena


É com grande alegria que participo da blogagem coletiva neste Dia do Estudante, 11 de agosto de 2011, denominada Estudar Vale a Pena. Tema este que é também o nome da campanha que o Instituto Unibanco desenvolve em escolas públicas de Ensino Médio.


O post de hoje é também uma oportunidade de homenagear meu pai, Noely Alvarez, que faleceu em 2005 e que amava estudar. Durante toda a sua vida, meu pai reiterou a importância do estudo e demonstrou, na prática, que tudo o que se aprende tem muito valor, se não diretamente na área profissional escolhida, para sermos pessoas melhores.


Tentei voltar mais tarde para uma sala de aula e não consegui. Sigo em frente como artista plástico, mas percebo que a minha carreira seria outra se hoje estivesse com a minha graduação em jornalismo (que era a minha vontade à época), em psicologia ou artes plásticas. Mas quem sabe? Ainda não desisti da idéia.

O estrago só não foi maior porque estudei em boas escolas e porque meu pai sempre dava um jeito de me manter motivado. Aos 7 anos de idade, me presenteou com um jogo da memória com todas as bandeiras do mundo. Ele comprou dois fascículos que traziam as bandeiras dos países, colou-as em duplicidade em papel cartão e deixou que a minha imaginação fizesse o resto. As bandeiras que faltavam, ele produziu colando pedacinhos de papel de revistas. Creio que foi neste momento que o meu pai plantou neste ser intuitivo e arteiro a idéia da colagem. Além disso, até hoje sei de cor quase todas as bandeiras do mundo o que despertou também a curiosidade de conhecer outras culturas.

Eu dediquei horas e mais horas dos meus petizes dias a brincar com aquelas bandeirinhas. Com um dado, gostava de promover campeonatos de qualquer coisa envolvendo as nações.



Na escola, podia não ser o melhor da classe, mas sempre fui muito participativo. Ninguém pode dizer que não fui um aluno atuante. Fui eleito presidente do Centro Cívico na escola municipal e atuei como diretor de teatro e editor do jornal do Liceu Pasteur. Também no Liceu Pasteur, cheguei a conseguir o empréstimo de dois automóveis, um calhambeque e um moderno, para o estande da Feira de Ciências, entre outras interessadas e pertinentes estripulias estudantis.

Nunca pensei de desistir dos estudos porque a escola era também a minha maior diversão. As atividades extracurriculares, sobretudo, me encantavam. Produzir trabalhos e cartazes com colagem de recortes de revistas, então, era uma verdadeira festa. Outro ponto que quero reiterar é a importância da participação dos meus pais em todo esse processo, foi fundamental.

Outro bom exemplo da participação do meu pai aconteceu já no primeiro ano do colegial. O professor de biologia pediu para que coletássemos insetos para posteriormente classifica-los. Meu pai me levou em todos os parques municipais e, juntos, coletamos centenas de exemplares. Peguei tantos insetos que algumas espécies devem estar em risco de extinção até hoje. Tirei 9,5! E mais importante do que a nota foi tudo o que aprendi com o trabalho, além da diversão de passear e curtir meu pai, lógico.

Com 16 anos, ainda no Liceu Pasteur, atuei em teatro amador na Biblioteca Viriato Correa, pertinho da escola. E por editar o jornal do colégio acabei também escrevendo para revistas de bairro e para jornais do interior do estado. Nesta época conheci a Miriam Martinez, então assessora de imprensa da gravadora RCA Victor, e passei a ser convidado para coletivas de imprensa com grandes nomes da nossa música. Na foto abaixo, com o saudoso Luiz Gonzaga e a turma toda do jornalismo musical da época. Era o caçula da galera.

O mais legal é poder constatar que hoje tenho a oportunidade de dividir parte de todo este aprendizado com as crianças e jovens que participam das minhas oficinas. No SESC Ipiranga, em 2008, com a participação de adolescentes da comunidade de Heliópolis, produzi um painel de 5 metros representando o mapa-mundi. Os jovens tinham de pesquisar na internet o que colar em cada parte do mapa. Foi uma experiência incrível que me fez lembrar do meu pai e dos tempos de escola.



terça-feira, 2 de agosto de 2011

A Arte da Conscientização Ambiental


Há cerca de dois anos, descontente com o não aproveitamento do material que sobrava da minha produção como artista plástico de colagem, acabei por conhecer Dona Nêga, uma senhorinha de 70 anos que recolhe papelão e outros recicláveis aqui na cidade em que resido, Joanópolis, a 100km de São Paulo. Com o vigor de uma jovem de 18 anos, Dona Nêga complementa sua aposentadoria vendendo o material que recolhe à reciclagem. Pensei cá com meus botões: se ela sozinha faz tanto, se ela sozinha pode mudar toda uma realidade de vida, por que o mundo não pode?


O tempo passou e, ao julgar que poderia contribuir mais com ela e com o planeta, propus aos vizinhos que reunissem seus recicláveis em minha casa para assim repassa-los. Hoje são 7 residências que fomentam a iniciativa.

Como uma atitude positiva leva à outra, determinei que, a partir desse momento, a minha arte estaria para sempre associada à conscientização ambiental, ao estímulo do consumo consciente e do reaproveitamento dos materiais. Passei, então, a relacionar as minhas oficinas, para crianças de todas as idades, a esse conceito, classificando-as como atividade de arte e conscientização ambiental.

A resposta por parte do público, dos espaços culturais e das empresas mostrou que o caminho era esse. Foi dessa forma que também nasceu a idéia de propagar o conceito da colagem como ferramenta didática para a conscientização ambiental das futuras gerações.

Com a atividade lúdica de reaproveitar com arte conseguimos dizer tudo sem a necessidade de longos e cansativos discursos. Trabalhamos assim, junto à garotada, pais e professores, o que classifico como “reconceitualização do lixo”. Ao valorizarmos o que é descartado, passamos a pensar sua destinação adequada e a consumir com mais critério, naturalmente.



Oficina Pritt de Criatividade para cerca de 2.500 crianças e pais em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Belo Horizonte - Fevereiro e março de 2011
Foto: Silvio Tanaka



Oficina para a Editora Abril no evento Planeta no Parque – Parque Ibirapuera, São Paulo
Janeiro de 2011 - Foto: Silvio Tanaka



Oficina para professores da rede municipal de Palmas - Tocantins – Junho de 2011


Oficinas para crianças no Planetário da Gávea durante a Rio+20 2012.



Oficina para alunos da Escola em Tempo Integral Dona Lindú, em Palmas – Tocantins
Junho de 2011



Oficina para alunos do curso de Pedagogia da FESB, em Bragança Paulista, SP
Maio de 2010 - Foto: Zé Goulart


Oficinas para alunos da Escola Bosque


Oficina para alunos dos cursos de Pedagogia e de licenciatura em Artes Visuais
da FAAT Faculdades, em Atibaia - Agosto de 2012. 




Oficina para professores na Universidade Estadual de Maringá  – Novembro de 2012

domingo, 3 de abril de 2011

Workshop - A Colagem e a Arteterapia


Como já contei aqui outras vezes, a arte da colagem entrou na minha vida de forma surpreendente. Ao passar por um momento bastante difícil, e sem nunca ter demonstrado qualquer aptidão para o desenho ou para a pintura, acabei por utilizar a técnica do recortar e colar, intuitivamente, para conseguir externar meus sentimentos e seguir meu caminho.

Há alguns anos, por intermédio das redes sociais, conheci a artetepeuta Patrícia Pinna Bernardo, e, com ela, descobri que, “sem querer querendo” havia trabalho meu interior empregando a Arteterapia.


O workshop, divulgado abaixo, nasceu da necessidade de demonstrar a um número maior de pessoas, que a Arte pode ajudar muita gente, que pode ir muito além de sua função decorativa, pendurada na parede. O evento também brotou naturalmente como se já estivesse agendado “lá em riba” há muito tempo.

Na organização do workshop está a querida Sandra Siciliano, que, em certo e crucial momento, nos mostrou que, no momento certo, o sonho poderia virar realidade.

Workshop com Patrícia Pinna e Silvio Alvarez
Dia 21 de maio, sábado, das 15 às 19hs
A COLAGEM E A ARTETERAPIA:
"SOMOS NATUREZA VESTIDA DE GENTE!"
(As Árvores agradecem!)


"Pode ser que alguma pequena raiz da árvore sagrada esteja ainda viva. Nutre ela bem para que ela se cubra de folhas e volte a florescer, se enchendo com o canto dos passarinhos." (Alce Negro)

Nesse workshop Silvio Alvarez, artista plástico, apresentará a técnica da colagem, com sua história e características, mostrando a riqueza desse trabalho e aplicações possíveis.
Patrícia Pinna, psicóloga e arteterapeuta, explanará sobre os benefícios da Arteterapia e mostrará como a arte da colagem pode ser empregada como caminho para o autoconhecimento. Patrícia falará ainda sobre o tema da “Árvore da Vida”, recorrente em diversas mitologias, e que sentido isso pode ter para o homem atual, num momento planetário em que as florestas estão sendo sumariamente devastadas, o que se reflete na degradação das relações eu-outro-meio ambiente.

Silvio transmitirá então os conceitos básicos da técnica para que os participantes possam desenvolver um trabalho de colagem a partir do tema proposto.

Quando: 21 de maio, sábado, das 15 às 19 horas
Investimento: R$ 150,00
Onde: Pinheiros - São Paulo/SP
Maiores informações e inscrições: pelo tel (11) 3032-5554 (falar com Sandra Siciliano, organizadora do evento) - vagas limitadas!
*Os participantes deverão trazer 5 ou mais revistas variadas. Outros materiais serão fornecidos por Silvio.

Coordenadores do workshop:
Patrícia Pinna Bernardo
CRP: 06/16725 AATESP: 056/0905
www.patriciapinna.psc.br
www.patriciapinna.blogspot.com

Coordenadora da Pós-graduação em Arteterapia e em Arteterapia Aplicada: saúde, artes, educação e organizações (UNIP). Psicóloga (USP) e Artista Plástica (FAAP), Pós-doutora em Mitologia Criativa e Arteterapia (FEUSP), Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (USP), Mestre em Psicologia Clínica (PUC-SP), arteterapeuta e psicoterapeuta, atuando há 28 anos com crianças, adolescentes e adultos em consultório, escolas e instituições. Professora universitária e supervisora de trabalhos clínicos e institucionais.

Autora da coleção:
A PRÁTICA DA ARTETERAPIA: CORRELAÇÕES ENTRE TEMAS E RECURSOS
Vol I: Temas centrais em Arteterapia, Vol II - Mitologia Indígena e Arteterapia: a arte de trilhar a Roda da Vida, Vol III Mitologia Africana e Arteterapia: a força dos elementos em nossa vida, Vol IV Arteterapia e Mitologia Criativa - orquestrando limiares, Vol V - A Alquimia nos Mitos e Contos e a Arteterapia: Criatividade, transformação e Individuação.
Silvio Alvarez
http://www.silvioalvarez.com.br

Artista plástico paulistano, autodidata, trabalha com colagem desde 1989. O artista costuma dizer que a principal matéria-prima do seu trabalho, ainda mais importante do que o papel, é a paciência. Silvio recorta, uma a uma, imagens de revistas ou de folhetos publicitários para compor um mundo todo seu, mágico e surreal. Além de expor e comercializar suas obras, desenvolve projetos especiais para empresas ligados à sustentabilidade e ministra oficinas de colagem para todas as faixas etárias.

Silvio Alvarez - contato para oficinas
silvioalvarez@gaiabrasil.com.br 

www.silvioalvarez.com.br 

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Oficinas Pritt de Criatividade - Oficinas de Colagem com Silvio Alvarez


É com grande alegria que apresento aqui a iniciativa Pritt de promover Oficinas de Criatividade – Colagem, em 4 capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba, nos meses de fevereiro e março de 2011.

Pois... “Criatividade é o que se usa para construir pessoas”


Foto: Silvio Tanaka

As oficinas Pritt de Criatividade serão realizadas por orientadores especialmente treinados.

Oficinas Pritt de Criatividade

De 06 a 20 de fevereiro de 2011
São Paulo - Shopping Villa Lobos
Rio de Janeiro - Shopping Fashion Mall

De 13 a 27 de março de 2011
Curitiba - Shopping Estação
Belo Horizonte - Shopping Del Rey

As oficinas abertas ao público acontecem de segunda à sexta-feira, em três horários: 16h00 às 17h30; 18h00 às 19h30 e 20h00 às 21h30. Para participar, basta agendar um horário no espaço da Pritt.



A idéia da Pritt é de, por intermédio da Arte, estimular a união entre pais e professores para um melhor desenvolvimento das nossas crianças.

Desenvolvi o formato das oficinas, realizei os treinamentos com profissionais da área de educação que estarão no comando das atividades e também marcarei presença em cada uma das capitais, nas datas mencionadas a seguir...

12 e 13/02 - Shop. Villa Lobos - São Paulo
19 e 20/02 - Shop. Fashion Mall - Rio de Janeiro

19 e 20/03 - Shop. Del Rey - Belo Horizonte
26 e 27/03 - Shop. Estação - Curitiba

Realizarei duas oficinas, abertas ao público, em cada uma das capitais, nas datas mencionadas acima. Sábados das 19h30 às 21h00 e aos Domingos, das 18h00 às 19h30.






Fotos: Silvio Tanaka

Mais fotos das Oficinas Pritt de Criatividade realizadas em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Belo Horizonte.
http://www.silvioalvarez.com.br/site/projetos/projetos/pritt-brasil  


Contato para oficinas
silvioalvarez@gaiabrasil.com.br

domingo, 9 de janeiro de 2011

Silvio Alvarez - Divirta-se - Estadão - 07/01/2011



O Caderno Divirta-se faz menção às oficinas realizadas na Biblioteca de São Paulo - Parque da Juventude, no bairro do Carandiru em São Paulo, em janeiro de 2011. 

O quadro em destaque é "O Abacaxi" - colagem em MDF - 2010.