terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Artista plástico Silvio Alvarez realiza oficina de colagem na Unidade Ermelino Matarazzo do Programa Recomeço Família para familiares de dependentes químicos.



No dia 11 de fevereiro de 2017 realizei oficina de colagem do Projeto “Só eu sou eu” na unidade Ermelino Matarazzo, zona leste de São Paulo, no Programa Recomeço Família, para familiares de dependentes químicos e outros grupos. 




Realizei a oficina a convite da psicóloga e arteterapeuta Silvia Medeiros, que foi minha aluna na pós-graduação em Arteterapia da Unip em 2010, no Parque Dom Paulo Evaristo Arns, em Ermelino Matarazzo, em São Paulo. Mais uma vez contei som o apoio do aprendiz Rafael Mariposa. 





Na primeira parte do evento, que teve duração de duas horas, conversei com os participantes, falei da minha história de vida e carreira. Com a proposta que criei do Projeto “Só eu sou eu” procurei reforçar o conceito do quanto cada um de nós é único e especial em um mundo com mais de 7 bilhões de pessoas. Apresentei a canção de Marcelo Jeneci “Só eu sou eu”. 






Na sequência, ensinei o básico da técnica artística da colagem e propus que cada participante produzisse uma colagem em papel cartão com recortes de revistas. O papel cartão, em formato de um boneco, propunha que cada um pensasse em si mesmo, se auto retratando no trabalho.  









Contato com Silvio Alvarez

www.silvioalvarez.com.br
silvioalvarez@uol.com.br

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Rafael Mariposa é o novo aprendiz do Ateliê Silvio Alvarez



Conheci o estudante de comunicação visual Rafael dos Santos Camargo, de nome artístico Rafael Mariposa, durante a minha exposição no Conjunto Nacional de 2016. Com 20 anos de idade, Rafael é estudante de Comunicação Visual da ETEC José Rocha Mendes, em São Paulo, e já desenvolve projetos em desenho, pintura, escultura, arte urbana, teatro, poesia, como recreador e cosplay.



Trabalho de Rafael Mariposa em isogravura



Cosplay, Rafael Mariposa como Homem Aranha



Rafael Mariposa como Peter Pan 
Fotografia e edição: Rubens  Macedo


Como já havia tomado contato com a colagem em seus estudos, Rafael Mariposa, natural de São Paulo, passou o mês de fevereiro em Joanópolis, no Ateliê Silvio Alvarez, para aprimorar o seu conhecimento na técnica, tomando contato com o processo criativo in loco e praticando livremente. O resultado foi surpreendente.



Procurando não interferir em suas criações, permiti que o estudante desenvolvesse trabalhos mesclando a técnica da colagem com o desenho e a pintura. Creio que as imagens dos trabalhos desenvolvidos nesse primeiro momento dizem tudo, muito mais do que palavras.




Rafael Mariposa é o novo aprendiz do Ateliê Silvio Alvarez , mas já alcançou algo a mais, importante para a sua carreira de artista plástico. O jovem conseguiu logo de cara algo muito difícil na técnica de colagem: realizar algo verdadeiramente novo, original. Trabalhando colagem com desenho e pintura, 
Rafael abre uma estrada nova criativa e gigantesca no universo artístico da colagem.



Além disso, Rafael Mariposa, que pretende cursar faculdade de artes plásticas, revela-se também como um potencial arte educador, por possuir, a meu ver, o componente essencial: carrega em si o amor genuíno por tudo o que faz. Ele já realizou, ao meu lado, oficinas no Lar Joanópolis, para idosos, e na Biblioteca de São Paulo, para crianças.






O primeiro a participar do projeto Aprendiz foi Leonardo Giovane, natural de Joanópolis, hoje intercambista de Turismo da UNESP em Budapeste, Hungria. Leonardo Giovane não seguirá a carreira artística, mas também demonstrou aptidão para a produção de colagens e para desenvolver oficinas como arte educador. Como primeiro aprendiz do Ateliê Silvio Alvarez, Leonardo foi responsável por me auxiliar em boa parte da produção 2014, 2015 e 2016.



Contato Silvio Alvarez 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Oficina de colagem Os Cinco Sentidos para idosos do Lar Joanópolis




No dia 25 de janeiro de 2017 realizamos mais uma oficina para os idosos do Lar Joanópolis com o apoio dos funcionários e do estudante de artes e aprendiz do Ateliê Silvio Alvarez, Rafael Mariposa. As oficinas no Lar fazem parte de um projeto voluntário, iniciado em parceria com a fisioterapeuta Aline Poli em 2012.



Quando realizo as oficinas e proponho as atividades do lar sempre ouço de alguns dos idosos comentários do tipo: “não enxergo direito”, “não vou participar porque não ouço bem”.  Sendo assim, resolvi aplicar aos idosos do Lar Joanópolis a mesma atividade realizada recentemente  na Biblioteca de São Paulo com o tema Os Cinco Sentidos.




Abri a oficina falando aos idosos justamente que não havia a necessidade de deixar de participar da oficina por conta de um problema de audição, de visão, e etc. Falei dos cinco sentidos e apresentei figuras lúdicas que poderiam remeter à memória afetiva de todos. Falei do cheirinho de café que tomava conta de toda a casa, dos sons que nos faziam lembrar de coisas boas, falei dos sabores todos que guardamos em nossa mente...  Pedi que todos se imaginassem chupando um limão bem azedo, pedi que mostrassem a língua e levei hortelã e manjericão grampeados em papel cartão para que cheirassem com os olhos fechados. 




Ao falar do tato, mostrei e fiz com que sentissem a textura de uma lixa e de um catálogo de turismo, em alto relevo. Também abracei um por um cada um dos idosos. 





E seguida, entreguei aos participantes imagens de revistas, coladas em papel cartão, relativas aos cinco sentidos. Tiramos fotografias divertidas com as imagens em seus rostos e apresentei o resultado a eles.  







Em mais de quatro anos de atividades no Lar nunca havia notado um envolvimento tão grande por parte dos idosos. Por alguns momentos todos voltaram a ser criança. 





Na sequência, propus que cada idoso escolhesse um dos cinco sentidos e que procurasse em revistas imagens que gostassem e que fossem relacionadas ao sentido escolhido.














Contato Silvio Alvarez